Eleições legislativas na Polónia: “Os polacos queriam uma mudança. E uma bem grande.”

26 outubro 2015
VoxEurop
Rzeczpospolita, Gazeta Wyborcza, Dziennik Gazeta Prawna & 2 outros

A imprensa polaca saúda a vitória esmagadora e sem precedentes do partido conservador Direito e Justiça (PiS) nas eleições legislativas do passado domingo, realçando o facto de que este tem agora à sua disposição todas as alavancas do poder.

Segundo as últimas sondagens saídas das urnas, o partido eurocético Direito e Justiça (PiS) liderado por Jarosław Kaczyński ganhou as eleições parlamentares de domingo na Polónia, com 37,7 por cento dos votos, enquanto a Plataforma cívica (PO) obteve 23,6 por cento. Os restantes partidos que entram no novo parlamento (Sejm) incluem o partido anti estabelecimento Kukiz’15 (8,7 por cento) e o liberal Nowoczesna (7,7 por cento), bem como o Partido Camponês Polaco (PSL – 5,7 por cento). A participação alcançou os 51,6 por cento. Os resultados oficiais estarão disponíveis na terça-feira.

O editor do diário conservador Rzeczpospolita, Bogusław Chrabota, qualifica o resultado obtido pelo PiS como “uma derrota total não só para a Plataforma governante, como para toda a cena política”.

Rzeczpospolita, Varsóvia

Oito anos depois, o partido de Donald Tusk abandona a cena ferido, desintegrado, com uma clara crise de liderança e uma identidade esquizofrénica. […] Pela primeira vez em 25 anos, o Governo será formado por um único partido. Pela primeira vez, tem uma oportunidade histórica (sem compromissos fétidos) de aplicar o seu programa.

O editor adjunto do diário de centro-esquerda Gazeta Wyborcza, Jarosław Kurski, teme que o PiS seja capaz de reunir apoio suficiente no novo Parlamento para mudar a Constituição – que é o seu principal objetivo de acordo com o diário – e ameaçar a democracia na Polónia. Para fazer frente a isto, Kurski apela aos oponentes do PiS que se “mobilizem e percebam o quão perigosa é a situação”:

Gazeta Wyborcza, Varsóvia

Precisamos de uma aliança de todos os poderes que querem defender a democracia contra as usurpações da maioria parlamentar: precisamos de uma sociedade cívica, meios de comunicação e partidos independentes que se oponham ao autoritarismo.

O diário económico Dziennik Gazeta Prawna realça o facto de que não existirá um partido de esquerda (nem a coligação Zjednoczona Lewica, nem o Razem obtiveram votos suficientes) no Parlamento:

Dziennik Gazeta Prawna, Varsóvia

Isto não admira, se considerarmos que o seu programa foi em grande parte adotado pelo PiS. Por outro lado, é pena, pois recomenda-se que haja equilíbrio em toda a parte.

Para o diário Polska The Times, está claro que:

Polska The Times, Varsóvia

Os polacos queriam uma mudança. E uma bem grande. Foi atribuída uma grande responsabilidade ao partido de Jarosław Kaczyński. Tem o primeiro-ministro, o Presidente da República [Andrzej Duda fazia parte do PiS] e poderes plenos. Veremos como se vai sair com esta responsabilidade.

Jarosław Kaczyński (líder do PiS) “está muito perto de conseguir o poder absoluto na Polónia”, alerta o semanário Newsweek Polska na sua primeira página, enquanto o seu diretor, Tomasz Lis questiona por que é que os polacos decidiram apoiar alguém que pode iniciar um projeto tão arriscado como irracional. Na sua opinião, as eleições terminaram com um “impressionante triunfo” para os partidos da direita e “uma derrota gigante” para a esquerda. Mas o pior é que, no domingo eleitoral,

Newsweek Polska, Varsóvia

a moderação, a previsibilidade e a orientação europeísta foram fortemente derrotadas pelo extremismo, o populismo e o nacionalismo.